A boa e velha caderneta

Faz muito tempo que não publico aqui nenhum conteúdo sobre produtividade pessoal. Pra falar a verdade, não tem nada sobre assunto nenhum, admito que isso aqui tá às moscas. Culpa das redes sociais. É muito mais tentador somente compartilhar algum post de terceiros junto com um comentário rápido lá no Google+, mas isso é assunto pra outro post.

Resolvi tirar a poeira do blog compartilhando um método de organização de informações que vem dando certo pra mim. Gosto de pensar nele como uma espécie de leve fork da abordagem ZTD, creio eu. Há mais ou menos seis meses decidi organizar toda minha lista de tarefas, compromissos, lembretes e demais anotações utilizando apenas duas simples ferramentas: uma caderneta (sim, de papel) e o Wunderlist. Certamente foi o maior intervalo de tempo no qual consegui me manter fiel a um determinado sistema. Isso está acontecendo por um único e simples motivo: ele realmente funciona (para mim).

Como funciona?

Passo 1: Carrego comigo a caderneta e uma caneta para quase todos os lugares. Qualquer hora é hora de lembrar de alguma tarefa ou de ter alguma ideia que precise ser registrada. Anoto tudo, na ordem em que me ocorre, no primeiro espaço livre da caderneta. No início pensei que fosse ser um incômodo, mas como a caderneta é praticamente do mesmo tamanho da carteira, acabei acostumando. Atualmente estou usando um Moleco, que é resistente, tem aquele elásticozinho legal e é feita com material reciclado. Comprei uma caixinha com 4 pelo preço de um Moleskine e tem me servido muito bem.

Passo 2: Todos os browsers que uso estão configurados para a abrir uma aba com o Wunderlist ao iniciar. Isso é o suficiente para me lembrar de processar as informações rascunhadas na caderneta em forma de um conjunto de tarefas. Cada uma ganha um prazo, caso se aplique, e vai para a lista correspondente (pessoal, doméstica, trabalho, estudo etc.).

Passo 3: É o melhor de todos: marcar as tarefas como concluídas assim que as completo!

Passo 4: Não existe passo 4.

Por que funciona?

Porque não preciso mover mais nem uma palha além do relatado acima para notar uma melhoria considerável na organização das minhas tarefas. Peguei somente o coletar, o processar e o fazer dentre os 10 hábitos do ZTD e pronto. Não é o sistema perfeito, mas… quem disse que precisamos ser perfeitos? Além do mais, tem tanta coisa pra fazer nesse mundo e tão pouco tempo, não é mesmo?

É isso. Espero que essa experiência seja útil pra alguém. Se você se considera completamente desorganizado, já é um começo, correto? Não custa nada tentar.

Crédito da foto: Omar

Anúncios

4 ideias sobre “A boa e velha caderneta

  1. Daniel Gonçalves

    Rapaz, o pessoal da FogCreek leram a minha mente, e criaram o Trello.com. Você realmente deveria dar uma olhada. Estamos usando para quase tudo e, com um pouco de organização (e vontade) dá pra fazer scrum nele (e já tem maluco criando plugin, para poder atribuir pontos por história).

    Resposta
    1. Rodrigo Amaral Autor do post

      O Trello é fantástico mesmo. Tenho usado para algumas atividades um pouco mais complexas, que requerem um volume maior de informação (ex.: organizar viagem de férias). O bacana da ferramenta é que ela é genérica o suficiente para permitir qualquer uso que a criatividade mandar. Fiquei fã!

      Resposta
  2. Pingback: Retrospectiva 2012 – Parte 2 | Rodrigo Amaral

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s